sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Bom 2011, com muitos livros


(com a devida vénia, do blogue O silêncio dos livros)

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

6ºD: A Árvore de Sophia em exposição


Ligeiramente atrasada em relação à data inicialmente prevista, foi hoje finalmente montada no espaço-átrio da Biblioteca da EB 2,3/S uma exposição de ilustrações do 6ºD, uma das turmas mais amigas da BE. Sob a supervisão da professora Carla Alves, e com a colaboração dos docentes de EVT, os alunos deram asas à sua imaginação a partir da leitura do livro A Árvore de Sophia de Mello Breyner Andresen e o belo resultado está agora à vista de todos. A não perder até meados de Janeiro.

Natal: decorações e expositor



A Biblioteca não podia ficar de fora dos bonitos enfeites de Natal com que os docentes de EVT — com um merecido destaque para os professores Ricardo Pinheiro e Helena Terleira — decoraram este ano a EB 2,3/S. Também as novidades adquiridas com a verba da Feira do Livro foram apresentadas num expositor especialmente decorado que, aliás, não demorou em esvaziar-se.

Prendas de Natal






Com a verba conseguida na Feira do Livro graças ao trabalho de muitos docentes e alunos da EB 2,3/S — a quem a equipa da Biblioteca agradece penhorada — foi possível adquirir uma série de obras novas que muito vieram enriquecer o nosso fundo documental, sobretudo na área infanto-juvenil. Aqui ficam as capas de algumas destas prendas de Natal.

Exposição Dia Internacional da Pessoa com Deficiência


Comemorou-se no passado dia 3 de Dezembro o Dia Internacional da Pessoa com Deficiência. Sendo um dos locais privilegiados para as actividades curriculares do Ensino Especial na escola, a Biblioteca acolheu no seu espaço-átrio uma exposição de trabalhos relacionados com esta temática realizados pelos alunos de várias escolas do agrupamento, sob a supervisão do dedicado grupo docente do Ensino Especial.

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

6ºC: 10 razões + 1 para ler Luísa Ducla Soares


10 razões mais uma para ler a versão dramatizada de “As Viagens de Gulliver”, de Luísa Ducla Soares

- “As viagens” são emocionantes e o livro é perfeito.
- Querem conhecer alguém que não consegue estar parado, sempre no mesmo sítio? Apresento-vos Gulliver e as suas viagens. É uma boa escolha.
- Livro muito engraçado: uma verdadeira diversão.
- As falas deste livro estão bem elaboradas e as ilustrações são bem modernas e nada cansativas e é disso que a juventude, de hoje em dia, gosta.
- Este livro é fantástico.
- Este livro tem um problema: devia ser mais longo. A história é interessante e engraçada, quanto mais se lê, mais se quer ler!
- Quase todas as personagens deste livro estão bem representadas nas ilustrações, excepto algumas… ou será que o ilustrador fez de propósito?
- As viagens de Gulliver aconteceram há séculos, mas são muito engraçadas, pois o herói é muito brincalhão.
- As imagens deste livro são muito giras e Gulliver vive aventuras emocionantes, algumas um pouco perigosas.
- Este livro é muito engraçado e divertido. É um óptimo passatempo para uma tarde aborrecida de chuva. Gulliver é muito astuto e hilariante, safando-se sempre dos problemas.
- Aventura, emoção e muito humor é o que podem encontrar nesta divertidíssima obra de uma das nossas escritoras preferidas: Luísa Ducla Soares.

Será que vos convencemos a lê-lo?

Os alunos do 6 º C

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Caminha quinhentista em conferência



Caminha no século XVI: estudo sócio-económico - "Dos que ganhão suas vidas sobre as agoas do mar” — foi a temática da conferência proferida esta terça-feira no Auditório da EB 2,3/S de Caminha pela Drª Sara Pinto aos alunos de História do Ensino Secundário e respectivas docentes. Mestre em Estudos Locais e Regionais pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto, a jovem investigadora portuense veio afinal devolver o conhecimento por si construído à comunidade cujo passado foi objecto da sua dissertação académica em 2008. Um estudo sobretudo assente na exploração do arquivo da Confraria do Bom Jesus dos Mareantes (1549) que mostra como parte importante da história da vila de Caminha foi escrita pelas mãos dos homens do mar, fossem eles simples pescadores, experientes marinheiros ou mercadores ligados ao trato da Galiza, da Flandres e do Brasil. Um trabalho sem dúvida de valor que mereceria a atenção dos poderes públicos do município com vista a uma edição que permitisse uma maior divulgação entre os caminhenses da actualidade, nomeadamente aqueles que ainda hoje "ganhão suas vidas sobre as agoas do mar", das suas raízes profundas. Demonstrando assinalável capacidade de exposição e clareza de pensamento, a Drª Sara Pinto apresentaria mais tarde a sua comunicação no Auditório Municipal a um interessado público local — entre o qual se destacava um grupo de alunos da recém-criada Universidade Sénior —, culminando um dia dedicado à História Local em boa hora organizado pela Rede de Bibliotecas de Caminha.