terça-feira, 9 de dezembro de 2014

5ºA: Texto da disciplina de Português



RÁDIO BICHO.FM

A manhã estava quente (daquelas manhãs em que apetece andar a cantarolar) e os animais da selva já estavam acordados. A toupeira, a mais entendida em comunicação, tinha tido uma ideia brilhante: criar uma rádio. Assim, poderiam avisar, contactar, ajudar e informar os restantes animais. O rei Rujão, o leão mais importante da selva, aceitou e, por isso, levaram a ideia avante. Convocaram uma reunião no salão do palácio e todos os animais da selva participaram. No entanto, todos acharam muito estranho por ter sido a toupeira a ter essa ideia genial, porque ela não costumava andar muito lá por cima.
Gerou-se, então, uma grande discussão. Pois, todos queriam ser o locutor da rádio. Ao fim de vários minutos, decidiu-se que o locutor seria o mocho Pia. Este era o animal com a voz mais radialista. Depois, cada um dos animais queria ser o D.J., para poder pôr a música. Mas uns gostavam de música clássica, outros de rap, outros de rock e outros ainda de Hip Hop. Decidiu-se que o D.J. seria a leoparda Corredora, pois era a que se divertia melhor.
O animal escolhido (sem grande discussão) para fazer os programas da manhã foi o rei Rujão, que era um animal com um forte rugido e, assim, acordava-os a todos. A publicidade da rádio ficou destinada ao papagaio Gaio e à arara Rara, pois esses dois estão sempre a repetir a mesma coisa, como convém à publicidade. O elefante Trombas foi o escolhido como imagem de marca da rádio. Como todos queriam uma rádio forte e estrondosa, nada melhor do que o pesado elefante.
Depois de uma demorada assembleia de toda a bicharada, ficou decidido, por todos exceto pela raposa Matreira, que nunca concorda com nada, que o nome da rádio seria Rádio Bicho.FM.
A primeira emissão foi um enorme sucesso e, uns meses mais tarde, a rádio chegou mesmo a receber um prémio importantíssimo pelo desenvolvimento de toda a bicharada.
Todos os animais têm gostado muito deste entretenimento!

Sara Barreto, 5ºA

Matemática: problema do mês de dezembro



Os animais da quinta…

Na quinta dos Ovos de Ouro existem 38 animais, entre vacas e galinhas. Sabendo que existem no total, 100 patas, quantas são as vacas e quantas são as galinhas?

quarta-feira, 5 de novembro de 2014

Matemática: problema do mês de novembro


Moedas em grupos…

A professora Dina quer distribuir pelos seus alunos algumas moedas, para uma atividade de grupo. Todos os grupos devem ter igual número de moedas. A professora Dina Tem menos de cem moedas. Quando divide a turma em grupos de 2, 3 ou 4 alunos sobra-lhe uma moeda. Mas quando divide a turma em grupos de 5 alunos, consegue distribuir todas as moedas. Quantas moedas pode ela ter?

terça-feira, 28 de outubro de 2014

6ºD: Memórias do 5º ano




"O dia mais bonito do 5º ano" foi o mote dado ao 6ºD pela professora de Português, Carla Alves, e as respostas doa alunos da turma não tardaram e valem mesmo a pena serem lidas. Aqui vão, com os nossos parabéns:


Para mim, o dia mais bonito do 5.º ano foi o primeiro dia de aulas. No início, fiquei assustada com os miúdos mais velhos, porque alguns faziam disparates, mas depois comecei a habituar-me. Estava super-entusiasmada com a minha nova Escola e todos nos deixavam passar na fila do almoço. Fomos muito bem recebidos e gostei imenso desse dia.
Inês Gonçalves Pereira

O dia mais bonito do quinto ano foi quando se elegeu a Associação de Estudantes. No pavilhão central, estava uma imensa batalha de música e de rebuçados, pois os concorrentes puseram música ao vivo e “emparelhada”. Além disso, também ofereceram rebuçados e camisolas com o nome das suas listas. E foi assim o dia que eu mais gostei! 
Mariana Barbosa Pereira

O dia mais bonito do 5º ano foi quando fui ao Mega Sprint. Participei com os meus amigos Gustavo, Xavier e António. Eu, o Xavier e o Gustavo corremos; o António é que fez salto em comprimento. Após esta atividade, fomos para a escola e almoçamos com os nossos colegas. Foi um dia inesquecível e muito divertido.
Diana Rodrigues Rocha

O dia mais bonito do 5.º ano foi o Dia Mundial da Criança! Fizemos uma caminhada até ao Pinhal do Camarido e lá jogamos à bola e ganhamos todos os jogos, exceto a final. Os guarda-redes fomos eu e o Nelson.  Depois de jogar futebol, almoçamos e à tarde vimos as nossas colegas a declamar poemas, a cantar e a dançar. De seguida, recebemos os prémios e nós ficamos em 2.º lugar. No fim, voltamos a pé até à nossa escola.
David Rocha Ferreira

O dia mais bonito do 5.º ano foi o dia da visita de estudo de Moral… mas eu não fui! Diverti-me imenso! Nesse dia, tive aulas e os professores estavam felizes e contentes, pois era mais fácil dar aulas com menos alunos. Joguei computador, futebol e desenhei.  Adorei!
Alexandre Sousa Freitas

Para mim, o dia mais bonito do 5.º ano foi o último dia de aulas. Tivemos aulas como um dia normal e à noite houve o Arraial Minhoto. Esteve lá a Ana, a Inês, a Lara, o Gustavo, o Nelson… Também conheci a irmã da Ana, a Andreia. Elas são gémeas. Foi um dia em cheio!!!
Beatriz Augusto Rabeca

quinta-feira, 2 de outubro de 2014

Matemática: problema do mês de outubro


O professor Anastácio descobriu que uma reação química durava 80 minutos sempre que vestia uma bata branca, mas quando vestia uma bata verde a mesma reação durava uma hora e 20 minutos. Como explicas este fenómeno?

segunda-feira, 5 de maio de 2014

Matemática: problema do mês de maio

A corrida de manutenção

O João e o André fazem corrida de manutenção. Cada um vai ao seu ritmo. O João demora 9 minutos a fazer o circuito estabelecido enquanto que o André demora 12 minutos para fazer o mesmo percurso.
Numa determinada hora partem os dois ao mesmo tempo. Qual é o tempo mínimo ao fim do qual voltam a encontrar-se ambos no ponto de partida?

quarta-feira, 23 de abril de 2014

5ºD: O Tesouro do 25 de abril


Após a leitura da obra “O Tesouro”, de Manuel António Pina, na aula de Português da professora Carla Alves, os alunos do 5ºD escreveram o que se segue:

A LIBERDADE É…


“…o nosso maior tesouro e nós temos que a defender em nome dos valentes que lutaram por ela.” Ulisses Borges
“…ter uma vida livre!” Sara Verde
“…ser livre sem prejudicar a dos outros.” Ana Costa
“…ser livre para falar e pensar!” Gustavo Vilarinho
“…um tesouro muito valioso, porque podemos fazer o que quisermos e quando quisermos!” Inês Costa
“…estarmos deitados na relva de um prado a contar as estrelas e ter uma pomba branca a fazer-nos companhia.” Beatriz Rabeca
“…ter poder de expressão!” Lara Cacais
“…todos nós a merecemos, pois os nossos antepassados derramaram muito sangue para nós a termos.” António Calheiros
“…um bem precioso e não o devemos deixar escapar!” Carolina Cunha
“…a paz para todos nós.” David Ferreira
“…uma pessoa poder falar corretamente sem sofrer consequências.” Xavier Cunha
“…poder vestir o que eu quiser!” Diana Rocha
“…abrir uma gaveta dentro de nós e seguir as nossas ideias.” Nelson Oliveira 
“…temos que respeitar a nossa liberdade e a dos outros!” Mariana Pereira
 “…é o que nós temos de melhor, mas temos que a saber usar!” Francisco Silva
“…é brincar todos juntos! ” Bruno Macedo
“…dizer a verdade.” Afonso Soares
“…viver sem pressões injustas.” João Pedro
“O Mundo do País das Pessoas Tristes já acabou e há um novo mundo para descobrir pessoas felizes!”

sexta-feira, 4 de abril de 2014

5ºD: Violência no namoro


O 5º D, na aula de Educação para a Cidadania, com a professora Carla Alves, construiu um texto sobre a violência no namoro e quiseram publicá-lo para sensibilizar os utilizadores do biblogue para este problema:

A violência no namoro é uma forma de agressão, que se pode manifestar de vários modos. É exercida na intimidade de uma relação amorosa.
Este tipo de violência pode ocorrer não só com atos físicos, mas também verbais, como chantagens emocionais e psicológicas.
Exemplos de violência no namoro:
1)    Desrespeito pela privacidade do(a) companheiro(a), inspecionando o telemóvel e as redes sociais;
2)    Exercício de dominância através do controlo do que o outro veste ou faz;
3)    Tentativas de controlo sobre o grupo de amigos(as) que o(a) companheiro(a) pode ter;
4)    Humilhar o outro com frases agressivas e ofensivas;
5)    Impedir o companheiro(a) de agir com liberdade;
6)    Culpar o namorado(a) pelas suas próprias atitudes erradas;
7)    Insultar;
8)    Pressionar ou obrigar o outro a ter relações sexuais;
9)    Convencer o(a) companheiro(a) a consumir substâncias perigosas;
10)    Agredir fisicamente o (a) namorado(a).

Conselhos:
•    Pede ajuda aos teus pais;
•    Denuncia o problema às autoridades (GNR, PSP, PJ e outros);
•    Procura ajuda no Gabinete de Apoio ao Aluno da tua escola ou fala com o teu professor;
•    Recorre à linha de apoio à vítima (144).

DIZ NÃO À VIOLÊNCIA NO NAMORO!
NÃO ACEITES UM AMOR FALSO!

quinta-feira, 3 de abril de 2014

Matemática: problema do mês de abril

O concurso dos saltos…

Num concurso de rãs saltadeiras, a "Grande Saltitante" acabou um salto à frente da "Muito Capaz". "Muito Capaz" não ficou em último lugar. A "Salta Longe" acabou sete saltos à frente da "Rã Saltante". A "Rã Saltante" acabou três saltos atrás da "Grande Saltitante". A "Grande Saltitante" acabou cinco saltos atrás da "Dinamite". Quem ganhou o concurso?

sexta-feira, 7 de março de 2014

Matemática: problema do mês de março


A velha máquina de escrever do Tiago…


A velha máquina de escrever do Tiago encrava nos números 7, 8 e 9. Se ele escrever todos os números entre 100 e 200, quantas vezes encravará a máquina?

terça-feira, 7 de janeiro de 2014

5ºA: património local - textos e imagens

A turma 5ºA, com a orientação da professora Ana Paula Ribeiro, realizou uma pesquisa sobre o património local na disciplina de História e Geografia de Portugal. Os textos e imagens que se seguem são parte do resultado desse trabalho.


Gravuras pré-históricas de Lanhelas



As gravuras pré-históricas de Lanhelas são constituídas por diferentes séries de motivos geométricos e zoomórficos (equídeos e cervídeos) e foram apresentados por Abel Viana, em 1929, num artigo da revista “Portucale”. Foi este investigador que as descobriu na superfície de uma laje.Estas importantes gravuras rupestres encontram-se na “Laje das Fogaças” e na “Laje da Chã das Carvalheiras”, que se encontram a cerca de centena e meia de metros uma da outra. Com sensivelmente duzentos e cinquenta metros quadrados de superfície, a “Laje das Fogaças”  apresenta uma figura de um caprídeo, junto a um sulco com aproximadamente um metro e meio de comprimento. Para além deste elemento, há também motivos geométricos constituídos por uma figura quase retangular, a qual encerra uma espiral e linhas retas e curvas.

Lara Magalhães

5ºA: património local - ilustrações

A turma 5ºA, com a orientação da professora Ana Paula Ribeiro, realizou uma pesquisa sobre o património local na disciplina de História e Geografia de Portugal. As ilustrações que se seguem, devidamente identificadas e assinadas, são parte do resultado desse trabalho.


Matemática: problema do mês de janeiro


O presente de casamento

Quando a princesa Aikelinda, do reino Aikchatos, se casou, o príncipe Aikgiro, do reino vizinho, ficou tristíssimo. Desde sempre alimentara a esperança de casar com ela! Como prova da sua dedicação enviou-lhe como prenda de casamento uma colecção de sete bonecas de ouro. Cada boneca era dois gramas mais pesada que a anterior. Se a boneca do meio pesar 118 g, quanto pesarão todas as bonecas juntas?