sexta-feira, 2 de fevereiro de 2018

Clube de Jornalismo: Entrevista rápida com...




Entrevistamos Helena Mendonça, operacional da Biblioteca Escolar (BE) da EBS Sidónio Pais. Eis o resultado do nosso trabalho.
Helena Mendonça gosta do seu trabalho na Biblioteca, mas nem sempre foi assim. A primeira vez que foi ali colocada não quis e deu o lugar a uma colega. Depois, voltou, porque sabia informática e teve de aceitar as funções. Atualmente, ADORA trabalhar na BE, já domina o espaço, conhece bastante bem os livros e gosta de lidar com os alunos. Desempenha várias tarefas como a informatização de documentos e de requisições.
Disse-nos que para além dos livros, os alunos requisitam revistas, jornais, DVDs e jogos de mesa.
Perguntamos-lhe o que pensava acerca dos novos alunos do 5.º ano e contou-nos que os acha extrovertidos, mas desobedientes; inteligentes, mas barulhentos; mais virados para as tecnologias do que para os livros.
E assim termina a nossa primeira entrevista rápidaaaaaaa.
Laura Azevedo e Mariana Gonçalves

Clube de Jornalismo: Caricatura de...

...João Pedro Mésseder, escritor, pseudónimo do professor universitário José António Gomes. A caricatura é do Ricardo Castro, um promissor artista da ilustração.



sexta-feira, 19 de janeiro de 2018

Clube de Jornalismo: os livros preferidos


Do novo Clube de Jornalismo, orientado pela professora Ana Paula Ribeiro, que tem na Biblioteca o seu ponto de encontro, começam a aparecer os primeiros resultados de trabalho de pesquisa e informação. Neste caso, do Ricardo Castro (6ºD) e do Rui Lourenço (6ºE), que quiseram saber quais os livros preferidos dos seus colegas do 2º ciclo e alguns professores e assistentes operacionais.


6ºC

Érica - Diário de uma Totó

Sandra - Diário de um Banana

Inês - Uma Aventura no Algarve

Eduardo - Coleção Uma Aventura

Simão - Diário de um Banana 3

Nelson - Diário de um Banana 9

Tiago - Diário de um Banana 5

Luís - Diário de um Banana 4



6ºD

Carolina - Diário de Anne Frank

Martim - Diário de um Banana 6

Mariana - Coleção Uma Aventura

João Guerreiro - Coleção Uma Aventura

João Miguel - Coleção Os  cinco



 6ºE

Cristian - Diário de um Banana

Carolina - Série Harry Potter

Carina - Coleção Snoopy

Luana - Coleção Astérix

Jéssica Faria - Diário de uma Totó

Mariana - Coleção O Estranhão

Irina - Diário de um Banana 3



6ºA

Zé - Coleção Os cinco



5ºA

Carolina - Coleção Os Cinco

Rodrigo - A noite dos Animais Inventados

Francisco - Coleção Geronimo Stilton


5ºB

Leonor - Série Harry Potter



5ºC

Tiago Carvalhosa - Diário de um Banana



Professores e Assistentes Operacionais



Professora Bé - Chocolate

D. Sãozinha - Amor de Perdição

D. Rosa - O Nome de Rosa

    

sexta-feira, 5 de janeiro de 2018

6º A e 6ºD: a propósito da leitura de ULISSES


A propósito da leitura de ULISSES — o clássico de Homero na adaptação para jovens de Maria Alberta Menéres — nas aulas de Português da professora Ana Paula Ribeiro, alguns alunos do 6.º A apresentam as suas opiniões sobre o momento de que mais gostaram da obra. Entretanto, os mesmo alunos do 6.º A e alguns do 6.º D ilustraram algumas personagens que mais os entusiasmaram. 



Ulisses: o momento de que mais gostei


Em primeiro lugar, quero dizer que gostei mais do fim quando, finalmente, Telémaco conhece o seu pai, Ulisses. Este é, sem dúvida, um dos momentos mais emocionantes e felizes da obra. Devo acrescentar que gostei mesmo MUITO desta obra.

Carlota Silva


Com este texto pretendo apresentar o momento que mais apreciei na obra “Ulisses” e explicar porquê. É evidente que foi um dos mais cruéis: aquele em que Circe (que parecia  uma mulher atraente e inofensiva) transformou os marinheiros de Ulisses em porcos.
Adorei este capítulo do livro porque me ensinou que «nem tudo o que parece é». Se fosse o Ulisses, ter-lhe-ia desculpado este ato maldoso e cruel porque, em minha opinião, quando uma pessoa fica isolada numa ilha, inconscientemente, os pensamentos tornam-se maquiavélicos. Também gostei deste momento porque depois de Circe ter conhecido Ulisses, revelou-se a sua boa alma, que estivera escondida durante muito tempo. Além disso, recomendo este a livro a pessoas de todas as idades, porque ensina que nunca se deve desistir.

José Pereira

A parte do livro “Ulisses” de que mais gostei foi aquela em que Ulisses se dirigiu à Ilha dos Infernos. Este momento é muito interessante porque ele encontra a sua mãe que lhe conta novidades sobre Ítaca. Além disso, ali conhece dois homens que, por terem sido más pessoas nas suas antigas vidas, estão a cumprir um castigo para toda a eternidade. 
Maria Fraga

A parte de que mais gostei foi aquela em que Ulisses se disfarçou de mendigo e foi pedir esmola no seu próprio palácio, tendo sido reconhecido pela ama Euricleia – é um momento muito emocionante.

Marta Pintassilgo











domingo, 12 de novembro de 2017

6ºE: Cartas ao Nicolau do "Pedro Alecrim"

Os alunos do 6ºE, da professora Carla Alves, depois de lerem a obra "Pedro Alecrim", de António Mota, escreveram uma carta para o grande amigo do Pedro, o Nicolau. 



-->
Pragal, 16 de novembro de 2003

Querido amigo Nicolau,

Já li todos os teus guardanapos e contas histórias tão interessantes que até fiquei cheio de inveja. Aqui, no Pragal, continua tudo na mesma: os pássaros a cantar, as rãs a coaxar nos lagos e muitas outras coisas.
Tenho que admitir que sinto que tudo me acontece! Primeiro foi a morte do meu pai e agora tu foste para Vila Nova de Gaia com o teu irmão Casimiro… Neste momento, no estado em que a minha mãe está, não posso ir aí, mas prometo-te que um dia vou ter contigo.
Agora falando do teu trabalho, tenho que concordar contigo, pois estar todos os dias sempre a lavar garrafas deve ser muito difícil, principalmente quando se está a fazer isso tudo sozinho. Mas para que raio esse teu tal patrão quer essas garrafas todas?
A tua mãe está preocupadíssima e mal soube que eu te ia escrever disse logo para te mandar muitos beijinhos e para não fazeres muitas asneiras! (Lembra-te ela disse para não fazeres muitas, logo isso significa que podes fazer algumas!) Ahhhh…
Ia-me esquecendo de te contar uma coisa. Sabias que o Luís não está cá? Foi passar férias com o seu pai e mandou-me uma carta com essa nova forma que ele tem para comunicar (olavof Pedrovef)…
   Espero que venhas cá passar umas férias, porque não sou só eu que tenho saudades tuas, todos nós sentimos muito a tua ausência!

Um grande abraço do teu grande amigo,

Pedro Alecrim

(Mafalda Torres da Cunha – 6ºE – Nº13)



Pragal, 20 de outubro de 2017

Olá, grande amigo!

Antes de mais nada, quero-te agradecer a tua carta.
Espero que já estejas mais conformado com o teu emprego. Sei que não estás satisfeito nem feliz, pois lavar garrafas não é bem o que querias.
Tenho passado mal estes últimos tempos. Só tenho tido azar! Perdi a pessoa mais importante da minha vida, o meu pai, e agora…. De certa forma, estou a perder-te a ti também. Bem, é a vida…
Quero dizer-te que sem ti as coisas são diferentes… Ai, ai… sinto‑me sozinho! Tenho precisado de ajuda aqui no campo para regar as plantas e para tapar os buracos das toupeiras. Preciso das tuas estratégias para as exterminar!!!
Um dia destes temos de combinar um fim de semana para matar saudades! Gostava muito!

Desejo-te boa sorte.

Abraços!


Pedro Alecrim

(Francisco Fernandes – 6ºE – Nº5)


Pragal,13 de outubro 2017

Querido amigo Nicolau,
Li várias vezes os teus guardanapos e fiquei feliz por te lembrares de mim.
Já percebi que o teu trabalho não era bem o que querias. Tanto treinaste com a bandeja e não valeu de nada. Mas olha que qualquer dia podes subir de posto e ser empregado de mesa!
A tua mãe ficou ‘tola’ quando lhe disse que tu estavas a lavar garrafas. Ela até comentou que se não chegasses a usar a bandeja que ia reclamar ao teu patrão Xavier.
Aqui, no Pragal, toda a gente está com saudades tuas. Infelizmente, não te posso ir visitar, porque depois da morte do meu pai não consigo deixar a minha mãe sozinha. Isto não me parece nada justo! Perdi o meu pai e agora estou a perder o meu melhor amigo, tu.
Espero que um dia destes voltes para o Pragal, para me ajudares a tapar os buracos das toupeiras!
Bom, adeus, Nicolau, não posso escrever mais! Tenho que ir ajudar a minha mãe... Espero que nunca te esqueças de mim, porque eu valorizo muito a nossa amizade.
Um grande abraço do teu amigo Alecrim aos molhos.
Pedro Alecrim

(Helena Magalhães, 6.ºE, N.º7)