terça-feira, 24 de novembro de 2015

6ºA: O que foi o Terramoto de 1755?

A maior catástrofe natural que ocorreu em Portugal foi o terramoto de Lisboa de 1755. Este terramoto afetou outras áreas de Portugal e sentiu-se no sul de França e no norte de África. No terramoto, morreram cerca de 60 mil pessoas. Destas, cerca de 20 mil morreram em Lisboa, presume-se que nessa altura viveriam em Lisboa cerca de 250 mil pessoas. O terramoto aconteceu no dia 1 de novembro de 1755. Como era dia de Todos os Santos, as pessoas tinham acordado muito cedo para irem à missa. Nas casas e nos altares da igreja as pessoas tinham muitas velas acesas e, nas habitações, as pessoas tinham deixado as lareiras acesas. O primeiro abalo sentiu-se às 9h45 da manhã. Nessa altura começaram a cair casas e prédios e muitas pedras para a rua. Foram muitas as pessoas que ficaram soterradas nas igrejas. O rio Tejo invadiu as ruas da cidade, os barcos que estavam no rio afundaram-se. Muitas casas incendiaram-se. A seguir ao primeiro abalo seguiram-se muitos outros. A baixa de Lisboa ficou destruída. As pessoas fugiam e levavam consigo tudo o que podiam. Mais tarde, D. José I, que era  o rei nessa época, ordenou ao Marquês de Pombal que reconstruísse a baixa da cidade. O Marquês de Pombal transformou toda esta área: mandou construir a Praça do Rossio, o Arco da Rua Augusta e fazer as ruas paralelas e perpendiculares.

Mariana Carrilho 

(Disciplina de História e Geografia de Portugal - professora Ana Paula Ribeiro)

quinta-feira, 19 de novembro de 2015

6ºA: O que era a Inquisição ou Tribunal do Santo Ofício?

A  Inquisição ou Tribunal do Santo Ofício procurava os culpados de não seguirem a  religião  católica. As  vítimas  eram  principalmente os cristãos-novos, ou seja, os judeus obrigados a converterem-se ao catolicismo, mas qualquer outra pessoa podia ser acusada de praticar em segredo feitiçarias, magias ou rituais. Os condenados eram torturados e muitas das vezes queimados na praça pública, e essas cerimónias eram os “Autos de Fé”. Durante esse tempo, foi feita uma lei que proibia a todos de insultarem, apedrejarem ou cuspirem os condenados à fogueira. Com o Marquês de Pombal, o Tribunal da Inquisição deixou de ser um tribunal de censura e passou a ser um tribunal normal. O Marquês também acabou com as diferenças entre cristãos-novos e cristãos-velhos. O Tribunal do Santo Ofício foi extinto no ano 1821, após a Revolução Liberal de 1820.

Inês Barrocas

(Disciplina de História e Geografia de Portugal - professora Ana Paula Ribeiro)

quarta-feira, 11 de novembro de 2015

Matemática: problema do mês de novembro


Três agricultores eram proprietários de um carvalho centenário que existia no centro de uma propriedade. A produção, nesse ano foi fantástica. Nunca aquele carvalho tinha tido tantas bolotas… Os agricultores, depois de colherem as bolotas das árvores, resolveram enchê-las em vários sacos de 5Kg para serem mais fáceis de transportar e armazenaram-nos num grande palheiro.
De manhã cedo, levantou-se o primeiro e resolveu servir-se da sua parte. Repartiu os sacos em três partes iguais e verificou que sobrava um saco. Tirou a sua parte, e deitou o saco que sobrava ao rio, para evitar zangas.
O segundo fez o mesmo: como não sabia que o seu amigo já se tinha servido, separou os sacos em três partes iguais e como sobrava um, deitou-o fora...
E com o terceiro aconteceu exatamente o mesmo.
Quando se encontraram à noite ficaram muito admirados com o que tinha acontecido e acertaram as contas, incluindo os 14 sacos que o terceiro agricultor ainda tinha deixado no palheiro.
Quantos sacos havia inicialmente?

terça-feira, 10 de novembro de 2015

6ºA: Quem foi o Padre António Vieira?

António Vieira nasceu em Lisboa, a 6 de fevereiro de 1608. Morreu a 18 de julho de 1697, em Salvador da Baía-Brasil. Quando partiu para o Brasil, era ainda uma criança. Foi estudar para um colégio de Jesuítas, onde se tornou um aluno exemplar. Era uma pessoa tão dotada que se tornou professor de retórica. Ingressou na ordem de Jesus e ordenou-se sacerdote. Para além de professor e sacerdote, foi também diplomata e missionário. António Vieira sempre mostrou um grande interesse pela diversidade humana, pelos hábitos e línguas. A sua luta principal foi defender os Índios e os escravos e ficou conhecido por eles como “Pai Grande”. O Padre António Vieira ficou célebre pelos seus sermões. Fernando Pessoa chamou-lhe “Imperador da Língua Portuguesa”. Uma das obras mais importantes e também a mais conhecida foi o “Sermão de Santo António aos Peixes”. Este sermão foi pregado no Maranhão, Brasil, no dia 13 de junho de 1654, no dia de Santo António.  O Padre dedicou-se ainda a escrever cartas e profecias e foi responsável pelo desenvolvimento da prosa na época barroca.  Por defender tanto índios como judeus, foi condenado pela Inquisição à prisão e esteve preso durante dois anos.

Sara Barreto

(Disciplina de História e Geografia de Portugal - professora Ana Paula Ribeiro)